Banner Mobile World Congress

#39 – IoT – MWC

5G: Prontos para o grande salto em frente?

enEnglish deDeutsch frFrançais esEspañol itItaliano ja日本語 ruРусский zh-hans简体中文

MOBILE WORLD CONGRESS. As notícias sobre os primeiros lançamentos de uma nova geração de chips e de equipamentos, anunciados por algumas operadoras de telecomunicações, parecem indicar que a chegada do 5G vai ocorrer mais cedo do que o esperado. No setor industrial, a pergunta que se coloca é: que possibilidades se abrem com este salto gigantesco na velocidade de banda larga móvel?

 

A indústria das telecomunicações já se tinha deparado com esta questão antes, aquando da evolução dos padrões de rede. Mas desenvolver o padrão atualmente mais avançado, o 4G LTE (Long Term Evolution), que atinge velocidades até 100 Mbps, é totalmente diferente de uma transição integral para o 5G com, pelo menos, 20 Gbps. Isto porque o 5G é mais do que uma questão de velocidade. O 5G torna possível que um número quase ilimitado de dispositivos se conecte à rede e, também, que a transmissão de dados se realize sem interrupções, que a indústria designa de “latência”. Esta tecnologia foi concebida de forma a conectar fábricas inteiras, cadeias de abastecimento, veículos autónomos, robôs operados à distância e óculos de realidade virtual sem fios, por exemplo.

Para Gordon Mansfield, vice-presidente da AT&T,

O 5G viabiliza novos tipos de aplicações que, em gerações anteriores, era impossível disponibilizar num sistema móvel.

O futuro já chegou

Em dezembro de 2017, a organização do setor industrial 3GPP definiu o primeiro conjunto de padrões 5G, permitindo às empresas de hardware e de chips começarem a desenvolver equipamentos compatíveis. Prevê-se que um segundo conjunto de padrões esteja concluído em junho de 2018.

Para Jane Rygaard, diretora do marketing 5G na Nokia,

Está a acontecer muito mais rapidamente do que aquilo que observámos com os padrões de rede anteriores. Já se realizou muito trabalho no âmbito do pré-5G.

O atual 4G LTE foi concebido para ir sendo adaptado ao padrão seguinte. Ainda antes de os padrões estarem definidos, as empresas de telecomunicações haviam já efetuado testes piloto, o que significa que estão preparadas para lançar o 5G este ano.

Nos EUA, as operadoras de telecomunicações AT&T, Verizon, T-Mobile e Sprint anunciaram datas precisas para os primeiros lançamentos, que se situam entre o final de 2018 e o início de 2019. Os fabricantes de chips Intel, Qualcomm e Samsung revelaram novos planos para o silício. A China Telecom e a japonesa NTT DoCoMo contam iniciar serviços comerciais 5G em 2020. Enquanto isso, a gigante sul-coreana de telecomunicações KT Corporation formou uma parceria com a Samsung Electronics e a Intel com o intuito de construir uma rede 5G funcional para os participantes dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang, que decorrem este mês.

Em busca de aplicações para o 5G?

Embora seja possível começar a construir desde já a infraestrutura 5G, os chips, o software e o hardware de rede encontram-se ainda, maioritariamente, em fase de conceção. Por enquanto, as aplicações e os dispositivos 5G existentes não são muitos. Javier Gutiérrez, diretor de Estratégia da Telefónica España, explica:

Não temos um conjunto claro de serviços que possam vir a beneficiar do 5G. Devemos evitar que esta se transforme numa tecnologia em busca de aplicações práticas.

A Telefónica anunciou, em janeiro, uma parceria com a Nokia e a Ericsson para construir redes 5G nas cidades espanholas de Segóvia e Talavera de la Reina. Os parceiros irão testar novos produtos, tais como serviços de automóveis conectados e serviços de realidade virtual e de realidade aumentada para turistas.

A Nokia anunciou recentemente a sua “arquitetura de rede Future X”, que permitirá aos utilizadores finais conectarem-se a redes 5G.

No entanto, Rygaard salienta que, no passado, primeiro ocorreram grandes avanços em termos de velocidade de rede, a seguir aos quais surgiram aplicações inovadoras que poucos haviam previsto:

Não é possível saber tudo de antemão. Temos de ter cuidado para não nos concentrarmos demais neste aspeto, nem acreditarmos que é necessário prever, desde o início, todas as aplicações comerciais.

Mas a ARM, líder no fabrico de chips para dispositivos móveis, não corre riscos. No ano passado, criou um Departamento de Infraestrutura responsável por identificar serviços promissores baseados no 5G, de modo a que a empresa possa projetar os tipos de chips apropriados.

Para o vice-presidente Drew Henry,

Esta transição irá fazer surgir um tipo de empresas completamente diferente. Neste momento, assiste-se um pouco a um caos controlado à medida que os avanços nesta indústria se sucedem. É um momento deveras emocionante!

 

Traduzido do inglês por Helena Lino

enEnglish deDeutsch frFrançais esEspañol itItaliano ja日本語 ruРусский zh-hans简体中文


About the Author

Related Posts

English Deutsch Français Español Italiano 日本語 Русский 简体中文The adoption of...

English Deutsch Français Español Italiano 日本語 Русский 简体中文The NASA...

English Deutsch Français Español Italiano 日本語 Русский 简体中文Could the...

Fullpage Rotronic AG

Style Switcher

Highlight Color:

               

Backgrounds:

                    

You can also set your own colors or background from the Admin Panel.